NOTA DE ESCLARECIMENTO À SOCIEDADE ALTAFLORESTENSE

           O Câmpus Universitário de Alta Floresta, da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), veiculou, no dia 26 de maio, uma carta aberta à sociedade Altaflorestense sobre a importância e a necessidade de ações e atitudes no combate à COVID-19. A carta apresentou um primeiro alerta sobre os riscos de falta de leitos hospitalares e perdas de vidas, caso não fossem ampliadas as medidas de contenção da circulação de pessoas, em todos os ambientes e eventos que promovam aglomerações.

            Desde a publicação da referida carta, a UNEMAT tem dado continuidade as suas atividades em diferentes frentes de enfrentamento ao Covid-19, conforme a sua natureza educativa que atua principalmente na prevenção e incentivo a medidas de profilaxia para qualquer situação que coloque em risco a comunidade a qual pertence. Entre elas, citamos a elaboração de projeto para a obtenção de laboratório equipado para realizar a detecção da COVID-19 através da técnica de RT-PCR em tempo real.  Além disso, foi recentemente institucionalizado um projeto de extensão, com o objetivo de compreender a distribuição e o comportamento epidemiológico da Covid-19 no município, cujos produtos serão semanalmente compartilhados com a Secretaria Municipal da Saúde e começarão a ser publicados, a partir do dia 12 de junho, na página do Câmpus na internet e nos perfis da instituição, nas redes sociais.

            A UNEMAT esclarece que todas as publicações de seu corpo técnico-científico, bem como o seu posicionamento sobre as medidas necessárias para salvar vidas no município, se orientam pelo rigor científico e pelas determinações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Não é finalidade da instituição, gerar ou promover conflitos com organizações religiosas, empresariais ou quaisquer outras existentes em nosso município. Acreditamos que todos estamos empenhados na contenção da disseminação do vírus, utilizando para isso todos os esforços para que em última análise, esteja colocado a vida, como prioridade neste momento tão difícil em que números passam a ter nomes de pessoas que conhecemos e convivemos. O nosso papel institucional é apresentar estudos e, como base em seus pressupostos, alertar sobre os riscos e orientar decisões que se guiam pela manutenção da vida.

            Somos cientes de que cabe ao poder público, a responsabilidade pelas decisões referentes as medidas de controle da disseminação do novo coronavírus no município, e, que o processo judicial de soltura ou quaisquer medidas sobre presidiários cabe ao poder judiciário. Portanto, ressaltamos que as decisões referentes a soltura de presos estão conectadas a lei e jamais a pedidos ou estudos da Universidade.

            A UNEMAT mantém a sua posição de alerta para que, caso não sejam tomadas providências para conter o ritmo de disseminação da Covid-19 no município (não quer dizer fechamento total de comércios), e não sejam realizados investimentos substanciais na infraestrutura hospitalar, com aumento do número de leitos clínicos e de unidade de terapia intensiva, poderemos vivenciar situações de tragédia, como temos observado em outros locais. Levando em consideração as taxas de ocupação dos leitos no estado e dos estudos realizados pela UFMT para a região de saúde do Tapajós, e das projeções e monitoramento para Alta Floresta, realizado pela UNEMAT e já apresentado a Secretaria de Saúde Municipal, reiteramos que os leitos dos hospitais e o número de respiradores podem não ser suficientes para atender a todos os doentes, durante o próximo mês.

            Reforçamos nossa solidariedade com a população Altaflorestense e mantemos nosso compromisso com a comunidade, posto que a Unemat é parte responsável pela formação de profissionais e pessoas que tem como missão a educação para a vida. Estamos abertos ao diálogo e para contribuição de todas as ações que promovam a continuidade de todas as vidas.

            Alta Floresta, 10 de junho de 2020.